PONTE AREAS

2007/02/28

?Seis vizinh@s a tribunal por solicitarem retirada dum monumento dedicado a Franco

Hoje tivo lugar em Ponte Vedra o ju?zo contra seis vizinh@s de Ponte Areas acusad@s de ter distribuido um cartaz identificando a Nava Castro com Franco. Tr?s destes vizinh@s formam parte de Ponte Areas de Esquerda.Nava Castro ? filha de Pepe Castro, ex-militante falangista e Presidente da C?mara de Ponte Areas durante o franquismo e nas primeiras legislaturas do actual regime, que foi inabilitado por diversos delitos urban?sticos. Desde 2003, a sua filha encabe?a a candidatura ? presid?ncia da C?mara de Ponte Areas pola organiza?om de extrema-direita UCPA, umha cisom comarcal do PP.

Em 1999, o pleno municipal do Concelho de Ponte Areas aprovou por maioria retirar a simbologia fascista que in?ava a localidade com os votos contr?rios do grupo de Pepe Castro que se negou a executar a decisom.

A actividade e pressom social da Plataforma Cidad? pola retirada do monumento a Franco foi determinante para for?ar ao Governo municipal a retirada da simbologia em 2003, ap?s as elei?ons municipais que permit?rom o fugaz e ineficaz governo PSOE-BNG.

No julgamento decorrido hoje, a “Fiscalia” que exerce de acusa?om solicitou mais de 24.900? em conceito de multa e indemniza?om a Nava Castro e ? UCPA por ?delito eleitoral?.

Ponte Areas de Esquerda lamenta que a ju?za nom permitisse ? defesa empregar as testemunhas orais, nem aceitasse a documenta?om apresentada polos dous advogados, e antes de finalizar a vista expulsasse da sala os/as vizinhas de Ponte Areas, activistas do Local Social Baiuca Vermelha, da candidatura vicinal Ponte Areas de Esquerda e diversos dirigentes da esquerda independentista que arroup?rom com a sua presen?a @s seis antifascistas.

O candidato ? alcaldia por Ponte Areas de Esquerda Abra?m Alonso Pinheiro manifestou aos meios de comunica?om que cubr?rom este ju?zo que ?est? orgulhoso de ter contribuido ? retirada da simbologia fascista de Ponte Areas e a fazer da Galiza um pa?s mais limpo de lixo franquista?.

Ponte Areas de Esquerda agradece as mostras de solidariedade recebidas por diversos colectivos e vizinh@s de Ponte Areas e manifesta que nom defraudar? tod@s @s que contribu?rom para eliminar das nossas ruas a iconografia do fascismo que impujo Pepe Castro.

?

Novamente solicitamos a Nava Castro e ? UCPA que condene publicamente sem paliativos nem ambig?idades o regime franquista e os seus crimes.

Este julgamento deve enquadrar-se na ofensiva da direita contra a recupera?om da mem?ria hist?rica, contra os esfor?os realizados polo movimento popular ? hora de destapar os crimes do franquismo. A censura judicial de um web de O grobe, onde represaliados polo fascismo denunciavam com nomes e apelidos os carrascos, ou a tentativa de familiares de ex-respons?veis falangistas de Cerdedo de silenciar as investiga?ons da repressom realizadas polo historiador Dion?sio Pereira, fam parte de umha estrat?gia para manter na impunidade e no esquecimento os que em 1936 destru?rom a democracia, arruin?rom a Galiza e mat?rom ou expuls?rom da nossa na?om d?zias de milhares de mulheres e homens polo ?nico delito de quererem umha p?tria livre e justa.

A Ponte Areas que luita, a Ponte Areas rebelde e combativa nom cessar? na luita contra todo vest?gio de fascismo no Condado.

?

Comments are closed.