Membros de Verdegaia detectarom no dia de ontem (12 de fevereiro) um grande vertido azeitoso que cobria totalmente umha superficie de m?is de dous hectares de bosque assulagado de ribeira nas proximidades do pol?gono industrial das G?ndaras e em terrenos qualificados como h?bitat de conserva?om priorit?ria incluidos na ?rea natural protegida das G?ndaras de Budinho.

www.verdegaia.org
Outros dous hectares situados m?is ao sul achavam-se menos afectados ao estarem cubertos por umha mancha superficial que desembocava, a trav?s dumha canle, no rio Louro.

Verdegaia deu conta do ocorrido ao Departamento de Meio Ambiente da C?mara Municipal do Porrinho e a Delega?om Provincial da Conselharia de Meio Ambiente que tomou mostras do vertido.

Segundo puido saber Verdegaia, o vertido procede dumha caneira do citado pol?gono polo que ainda se desconhecem as pessoas respons?veis. Tamb?m soubose que nom ? a primeira vez que acontece pois h? uns meses v?rios trabalhadores da empresa m?is pr?xima ao ponto de vertido da caneira, sufrirom mareios polo fedor.

? poss?vel que o vertido se realizara uns dias antes coincidindo com a volta das ch?vias o que poderia ter rela?om com umha grande mortandade de peixes no rio Louro ? altura de Tui.

Ante a gravidade dos factos, Verdegaia exige:

1. A investiga?om da origem do vertido.
2. A identifica?om das pessoas respons?veis e, no seu caso, o feche da empresa.
3. A aplica?om do c?digo penal por causar um GRAVE DELITO ECOL?GICO COM RISCO PARA A SA?DE P?BLICA pola prov?vel introdu?om na cadea tr?fica de subst?ncias cancer?genas, contamina?om de ch?os e aqu?feros com os agravantes de reincid?ncia e afecta?om a um h?bitat priorit?rio da Rede Ecol?gica Europeia Natura 2000.
4. A restaura?om do meio a sua situa?om anterior.

OUTRA GRAVE INFRA??M NAS PROXIMIDADES
Junto ao citado vertido esta-se a realizar um aterro encol do mesmo bosque de ribeira em terrenos qualificados no PGOM do Porrinho como Solo R?stico de Protec?om de Espa?os Naturais e que inexplicavelmente forom suprimidos da Rede Natura pola Junta da Galiza a come?os do ano 2004.
Verdegaia exige ? c?mara municipal do Porrinho:

1. Umha san?om exemplar ? empresa respons?vel
2. A retirada imediata do aterro e a restitu?om ? situa?om anterior.

Comments are closed.