Quando est?m a ponto de se cumprir um ano e cinco meses de expatria?om e prisom sem ju?zo d@s independentistas Giana Gomes e Ugio Caamanho, o Organismo Popular Anti-repressivo Ceivar organiza marchas ?s cadeas espanholas em que se encontram confinad@s, C?ceres e Brieva (?vila). A viagem ? Espanha realizar?-se na noite de s?bado 16 para domingo 17 de Dezembro, dia em que se levar?m a cabo as concentra?ons anticarcer?rias perante os citados penais espanh?is.??

www.ceivar.org

Como j? anunciavamos neste portal no passado dia 19, Dezembro ? data tradicionalmente escolhida polos colectivos anti-repressivos para efectuarem marchas contra as cadeas. No caso da nossa Organiza?om, esta viagem aos c?rceres onde a Giana Gomes e o Ugio Caamanho se encontram ilegalmente sequestrad@s
supom o broche de ouro, para o presente ano, da campanha nacional que pola repatria?om e a liberdade d@s pres@s independentistas
Ceivar vem realizando desde o passado Dia da P?tria, datas em que se cumprira um ano da queda de dit@s militantes na capital galega e a sua imediata transfer?ncia e internamento em penais da Espanha.

REPATRIA?OM, porquanto a dispersom que o Estado Espanhol lhes vem aplicando desde o momento da queda vulnera a pr?pria “Ley Org?nica General Penitenciaria” espanhola (L.O.G.P. 1/1979),assi como tam?m artigos de normativas europeas, extracomunit?rias, considera?ons do “Defensor del Pueblo”, autos de diversos “Juzgados de Vigilancia Penitenciaria” do Estado, e inclusive senten?as do Tribunal Constitucional espanhol.

De facto,o pr?prio encarceramento d@s militantes galeg@s por parte do tribunal estrangeiro “Audiencia Nacional” da Espanha
viola tam?m o princ?pio de territorialidade que a pr?pria “Constituci?n Espa?ola” proclama (art. 24. 2 da C.E: direito ao encausamento por parte dum tribunal natural do lugar onde sucederam os factos de que se esteja acusad@). O tribunal pol?tico que vem sendo a “Audiencia Nacional” de Madrid mostra a sua face de tribunal de excep?om polo simples facto de ter encausad@s @s militantes galeg@s.

Devemos denunciar que a dispersom que o Estado Espanhol adoita aplicar desde h? bem anos (por parte de governos do PP e do PSOE)
?(o)s pres@s pol?tic@s nom nace dumha arbitrariedade ou incumprimento das suas leis
que obede?a ? neglig?ncia no concernente aos direitos das pessoas presas, mas a umha estrat?gia repressiva bem planificada, que visa o afastamento d@s pres@s do seu contorno social, obrigando a familiares e amizades a se deslocarem centenas de qm. para poder visitar @s militantes, estendendo assi a pena ?s pessoas do seu c?rculo, aplicando realmente um segundo encarceramento ?(o)s pres@s, isolando-@s da realidade do seu Pa?s.

Nos casos concretos d@s pres@s independentistas,lembremos que a dispersom ? exercitada engadindo-se-lhe a transfer?ncia peri?dica de c?rcere, dado que j? pass?rom polos penais espanh?is de Soto del Real (C.P. Madrid V), Brieva (?vila), Navalcarnero (Madrid IV) e C?ceres. Tam?m o regime FIES aplicado habitualmente ?(o)s pres@s pol?tic@s coarcta as suas rela?ons com o meio exterior,sofrendo a censura e restri?om das comunica?ons (tanto orais quanto escritas), denegando-se-lhes visitas com algumhas pessoas ou contacto telef?nico.

LIBERDADE, porquanto o regime de prisom preventiva aplicado a Gomes e Caamanho desde o momento da sua queda contradi a pr?pria legalidade espanhola, que afirma que os temas judiciais concernentes ?s pessoas presas “ser?m tratados polos tribunais com especial prefer?ncia”. No entanto, as leis penitenci?rias espanholas permitem que um/ha pres@ se atope at? 4 anos na cadeia sem mediar senten?a condenat?ria.

Lembramos que a Audi?ncia Nacional de Madrid j? denegou duas vezes a peti?om de liberdade provisional para Gomes e Caamanho solicitada polas suas defesas, entanto @s mant?m em prisom sem ju?zo.

Estas reivindica?ons de base vinh?rom sendo espalhadas ao longo da Galiza em multidom de circunst?ncias: participa?om do nosso Organismo em palestras sobre a hist?ria d@s pres@s nacionalistas galeg@s ao longo das ?ltimas d?cadas, socializa?om do trabalho anti-repressivo em prol d@s pres@s nas diversas manifesta?ons e convocat?rias de rua que diferentes colectivos e associa?ons realiz?rom no Pa?s nestes meses,
celebra?om de ceas e jantares reivindicativos por v?rias comarcas,trabalho de den?ncia nas ruas(pintadas, reparto de material, murais, faixas), etc.

ITINER?RIO DA MARCHA DE CEIVAR NA NOITE DO S?BADO VINDEIRO.

A marcha sair? da Corunha quando os rel?gios anunciarem o iniciar do domingo 17, da esta?om de autocarros.

Umha hora despois, est? prevista a partida da capital galega (01:00 h, do estacionamento de autocarros do compostelano col?gio Lasalle, na parte traseira do mesmo).

Posteriormente,a marcha passar? pola cidade de Vigo, onde mais participantes se sumar?m ao acto (02:45 h, esta?om de autocarros).
A seguir,ir?-se por Portugal para aparecer na manh? do domingo 17 de Dezembro perante o penal de C?ceres, lugar onde se atopa o preso Ugio Caamanho.

A correspondente concentra?om ante o c?rcere de destino da presa Giana Gomes efectuar?-se polo meio-dia ou primeira hora da tarde do mesmo dia, antes de a marcha iniciar a viagem de regresso cara ao Pa?s (17h): Ourense-Vigo-Compostela-Corunha ser?m os pontos de regresso por que se passar?.

O pre?o da viagem est? estipulado em 30 E por pessoa.

Contacto coa organiza?om do acto:

ceivar@ceivar.org?

cizalha.gif

?

Comments are closed.